BLOG DO SIMON

Por que carro elétrico não se torna um campeão de vendas, nos Estados Unidos?

Por que carro elétrico não se torna um campeão de vendas, nos Estados Unidos?

O maior inimigo dos carros elétricos na América pode ser o próprio comprador. Quando as novidades do plano fiscal falharam, houve muita conversa de que o plano para matar o crédito tributário federal de U$ 7,5 mil para veículos elétricos tornaria os carros uma venda ainda mais difícil entre os consumidores convencionais. Isso pode ser verdade para alguns compradores, mas os veículos elétricos podem estar enfrentando problemas que, mesmo com um incentivo, pode não ser resolvido.

Por exemplo, de 16 milhões de usuários únicos a cada mês, menos de 5% das pesquisas no site de compra de carros KBB.com são para veículos elétricos ou híbridos.

O híbrido Toyota Prius foi introduzido em 1997 e vários concorrentes já surgiram, mas os carros híbridos nunca responderam por mais de 3% do total de vendas de automóveis. Na verdade, as vendas flutuaram ao longo do tempo, às vezes subindo e descendo com os preços da gasolina.

Os compradores de carros não vêem veículos híbridos e elétricos como fornecendo as soluções certas para seus desejos e necessidades, mesmo que eles façam, dizem especialistas.

Há muitos motivos para pensar que os consumidores vão se aquecer para veículos eletrificados. Os compradores mais jovens mostram maior interesse, por exemplo. A infra-estrutura de cobrança está melhorando.Vários fabricantes estão planejando novos modelos, o que aumentará a variedade de opções para os compradores.

E alguns analistas esperam que os custos da bateria caiam ao longo dos próximos anos até o ponto em que os carros elétricos sejam menos dispendiosos do que os motores de combustão interna.

Algumas empresas que trabalham em tecnologia de condução autônoma disseram que ele combina melhor com trens de eletricidade, em grande parte, porque os carros autônomos e elétricos precisam de energia maciça de bateria. 

Outra abordagem seria oferecer o crédito como um desconto que poderia ser resgatado quando os consumidores comprarem veículos, antes inseridos como uma linha nas semanas de retorno de imposto ou meses depois. Isso tornaria o processo mais simples para os compradores e colocaria dinheiro em seus bolsos imediatamente, em planos com apenas 3,5% de entrada, como acontece no ramo imobiliário.

Veja Também

  • À medida que as férias se aproximam, os motoristas devem certificar-se de que seu veículo depende dos rigores das viagens de inverno. As dicas a seguir são de especialistas do Instituto Nacional de Excelência em Serviços Automotriz (ASE), uma entidade sem fins lucrativos.  

     O básico:

     Leia o manual do proprietário e siga os horários de serviço recomendados pelo fabricante.

    Desempenho do motor: 

    Cheque possív... Ler mais

  • Com o advento da tecnologia, o carros estão cada vez mais seguros. Muitos acidentes poderiam ter sido evitados, se dispositivos, hoje fundamentais, estivessem já instalados nos modelos de anos atrás. O sistema de frenagem automática, por exemplo, comprova os avanços adquiridos.  

    De acordo com a Pesquisa de Sistemas... Ler mais

Comentários